alma russa

Outubro 5, 2009 at 4:18 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, filme, histórias, manualidades, música, nostalgia, video) (, , , , )

Existe uma parte da minha vida que preferi, há alguns anos, varrer para baixo duma carpete e pisar em cima dela, de vez em quando… Não se assustem, trata-se só da língua russa (e da cultura, em geral).

A partir do 6º ano, comecei a estudar na escola a língua russa, com muito esforço, porque não gostava nada dessa língua. Na minha turma, ninguém gostava… O cúmulo foi quando tive que fazer o exame de admissão na faculdade em russo, além do francês e da gramática romena. O resultado daquele exame ( o último naquela língua) foi óptimo, não sei como, mas a partir daí nunca mais quis saber do russo. Passei a estudar português, com facilidade…

O destino fez que eu tivesse novamente contacto com a cultura russa, já no 4º ano de faculdade, quando partilhei um quarto do campus universitário com duas raparigas moldavas (éramos colegas no curso de francês), e sabe-se que na Moldávia se fala tanto russo, como romeno. É uma mistura. Tornamo-nos grandes amigas e aprendi muitas coisas com elas. Fiquei a conhecer uma certa parte da música russa, que é linda, os filmes de qualidade, etc. É pena que a cortina de ferro tenha impedido durante tantos anos o acesso das obras culturais russas ao circuito internacional (aconteceu o mesmo com a Roménia). Há muitos artistas de qualidade lá…

Agora tenho pena de ter perdido aquela língua, agora gostaria de saber ler ou falar em russo. É uma grande língua, que respeito imenso.

Porquê colar vermelho junto com história sobre a língua russa? Ni znaiu! 🙂 (não sei). Talvez por me lembrar dos belos xailes tradicionais deles…

russian

Anúncios

Permalink Deixe um Comentário

nova obsessão

Junho 8, 2009 at 10:10 pm (artes, criação, música, nostalgia, tristeza) (, )

Maravilhosa voz… Maria Raducanu!

PS: as galerias de fotos de bijutaria estão actualizadas!!!!

Permalink 5 comentários

iris

Maio 17, 2009 at 10:29 am (artes, música, nostalgia, video) (, )

Grupo de rock histórico (já fez 25 anos de existência), Iris é um dos meus favoritos de sempre. Apesar da “cara de mau” do vocalista, a música deles é muito querida na Roménia, há muito tempo.

Na Roménia, vi-os ao vivo muitas vezes e posso testemunhar que sabem fazer show como poucos artistas sabem.

Aqui está uma canção emblemática do grupo, que se chama Flor de Íris.

Permalink 7 comentários

class

Maio 10, 2009 at 12:17 am (artes, música, nostalgia) (, , )

Domingo musical.

Desta vez, música comercial. Uma das poucas “músicas comerciais” de que gosto, e só porque me diz qualquer coisa. A harmonia das vozes das duas moças, a onda positiva desta canção e as saudades de Bucareste, tudo isso junto faz que eu goste desta música apesar de pertencer a um género que não costumo apreciar.

Nome da canção: “A lua sorriu-me”.

PS: acho que o rapaz estraga a canção, mas enfim…

Permalink 3 comentários

a sombra

Abril 26, 2009 at 3:04 pm (artes, criação, histórias, música, nostalgia, video) (, )

sombra

Permalink 1 Comentário

volver

Abril 19, 2009 at 3:18 pm (histórias, música, nostalgia, pensamentos, viagem, video) (, , , )

Estou de volta. Depois duma semana rica em acontecimentos, sinto que devo contar-vos o que tenho feito, além de negligenciar este blogue.

Comecei, na semana passada, por visitar os meus cunhados das Caldas da Rainha, em cuja casa sempre me senti como num pequeno paraíso. A paz e o bom ambiente, a simpatia deles e a falta de preocupações, a paisagem e a papinha boa da Cristina conseguiram sempre carregar as minhas baterias, e eu bem precisava, para poder enfrentar um internamento e uma cirurgia.

casa-broieras1apus-broieras1

Na segunda-feira passada fui para o hospital CUF para uma tiroidectomia. Correu tudo bem, fui bastante mimada no hospital, o cirurgião foi um artista, tive o apoio incondicional do meu marido. A experiência, apesar de traumatizante por ser… aquilo que é, acabou bem e tirou um grande fardo dos meus ombros. A vida sabe melhor depois disso, estou muito contente.

eu

Na quarta-feira, dia dos meus anos, tive alta do hospital depois duma visita simpática do cirurgião (que, para se despedir de maneira engraçada, deu-me umas pancadinhas na cicatriz ahah 😦 ). Fui parar a um restaurante, junto com a minha amiga Claudia e o meu marido, claro.

restaurant

Foi o dia de anos mais… diferente da minha vida. Aliás, foi a segunda vez que passei esse dia no hospital (a primeira foi há uns 6 anos, quando estive no hospital de Faro com um joelho a dar-me cabo da cabeça).

Agora estou novamente nas Caldas da Rainha, a desfrutar a hospitalidade dos meus cunhados. Amanhã, depois de resolver alguns assuntos, volto ao Algarve, para continuar o meu trabalho e a vida normal.

E, por ser Domingo (não se esqueceram?), há música romena. Eis a “Balada” dum compositor romeno da época romântica, Ciprian Porumbescu, um dos melhores da minha terra. Esta música mexe comigo, portanto merce estar aqui, no meu “top” de músicas.

Permalink 3 comentários

alifantis

Abril 12, 2009 at 11:36 am (artes, criação, histórias, música, nostalgia, tristeza, video) (, )

“Emoção de Outono” é uma das canções da minha adolescência, uma daquelas músicas imortais que, pela simplicidade da linha melódica e a pela beleza das palavras, é impossível não conquistar os corações.

Nicu Alifantis, o autor da música, é conhecido sobretudo por ter posto em música versos dos melhores poetas romenos. O resultado é inesquecível. Vou voltar noutro domingo com este cantor…

Permalink 2 comentários

aos domingos há música

Abril 4, 2009 at 2:57 pm (artes, música) (, )

Há alguns dias tomei uma decisão “heróica” para un site de bijutaria: organizar um pouco aquilo que faço de qualquer maneira: pôr música on-line. Conhecendo o gosto dos meus leitores romenos pela música portuguesa e brasileira, decidi reservar um espaço no blogue, aos domingos, em que vou apresentar as minhas canções favoritas portuguesas e não só, de todos os tempos.

Até agora, todas tiveram muito sucesso. É também uma maneira de difundir os valores da cultura portuguesa e da minha, a romena, sobretudo aqueles menos comerciais.Tudo dentro das minhas preferências, é o único critério de escolha!!!!

music-pendant

A diferença entre este blogue em português e o outro, em romeno, é que aqui vou inserir as minhas músicas romenas de todos os tempos :). É como se fizesse uma caixa com objectos de que gosto muito e que quero vê-los juntos. O que é que acham?

Permalink 2 comentários

o som da música

Março 10, 2009 at 1:11 pm (artes, histórias, música, nostalgia) (, , )

Quem me conhece bem, sabe que sou uma apaixonada da música. Não canto, nem toco nenhum instrumento, não conheço teoria, mas oiço quase o tempo todo música de quase todos os géneros. Aprecio tanto Mozart, como Metallica, Amália Rodrigues e António Variações, The Doors e Martírio, Bregovici e Compay Segundo, Maria Bethânia e Led Zeppelin, Bach e Mano Solo, Jacques Brel e Dead can Dance, flamenco e hard’n’heavy, speed e fado, música cigana e música medieval.

music

Gostava de ter tocado piano e viola, violoncelo e acordeão, saxofone e harmónica, como o Dylan. No 2º ano de faculdade comprei um block-flute em que aprendi a tocar (mal) só duas ou três canções. Nunca progredi mais do que isso 🙂

muzica

Os concertos da minha vida foram Page & Plant em Bucareste (maravilhoso!!!!!) e Iron Maiden (onde entrei com o crachá emprestado por um jornalista). Adorei também o concerto dos restos de The Doors , aqui no Algarve (adorei ver o Manzarek ao vivo, é charmante e toca tão bem!!!!!)

music-pendant

Mas sobre a música vou falar noutras alturas também, é um assunto inesgotável na minha vida! 🙂

Permalink 1 Comentário

pseudo-valentim

Fevereiro 14, 2009 at 3:54 pm (música, pensamentos, tristeza, video) (, )

Vou dedicar este post a todos os que não têm amor, que procuram mas não encontram o par, às meninas que ainda esperam pelo príncipe encantado em cima do cavalo branco (não existe!), aos rapazes tímidos que não conseguem  declarar aquilo que sentem, etc.

Vou dedicar este post às pessoas sozinhas, que sentem neste dia de São Valentim o dobro da solidão.

Para isso há uma solução: viver o momento, arranjar amor ajudando os outros, amando o próximo, amando-nos a nós próprios. E vamos pôr  música aos berros, é a festa de estarmos vivos!

Permalink Deixe um Comentário

Next page »