uma ideia nova

Janeiro 16, 2012 at 6:04 pm (artes, artesanato, bijutaria, manualidades) (, )

A minha ideia nova é de fazer uma grande pausa de… anéis redondos! Foram três anos de formas curvas, agora quero mudar alguma coisa, para refrescar as minhas ideias e todo o resto.

Pensei que já não era possível entusiasmar-me com os meus acessórios, mas renasci das cinzas, sem dar por isso, como a ave Phoenix: as ideias novas começaram a chover e, ao mesmo tempo, recuperei o prazer de pintar os meus “brinquedos”.

Eis o resultado: anéis de madeira, feitos com COR E AMOR.

Enjoy!

Anúncios

Permalink Deixe um Comentário

o som da música

Março 10, 2009 at 1:11 pm (artes, histórias, música, nostalgia) (, , )

Quem me conhece bem, sabe que sou uma apaixonada da música. Não canto, nem toco nenhum instrumento, não conheço teoria, mas oiço quase o tempo todo música de quase todos os géneros. Aprecio tanto Mozart, como Metallica, Amália Rodrigues e António Variações, The Doors e Martírio, Bregovici e Compay Segundo, Maria Bethânia e Led Zeppelin, Bach e Mano Solo, Jacques Brel e Dead can Dance, flamenco e hard’n’heavy, speed e fado, música cigana e música medieval.

music

Gostava de ter tocado piano e viola, violoncelo e acordeão, saxofone e harmónica, como o Dylan. No 2º ano de faculdade comprei um block-flute em que aprendi a tocar (mal) só duas ou três canções. Nunca progredi mais do que isso 🙂

muzica

Os concertos da minha vida foram Page & Plant em Bucareste (maravilhoso!!!!!) e Iron Maiden (onde entrei com o crachá emprestado por um jornalista). Adorei também o concerto dos restos de The Doors , aqui no Algarve (adorei ver o Manzarek ao vivo, é charmante e toca tão bem!!!!!)

music-pendant

Mas sobre a música vou falar noutras alturas também, é um assunto inesgotável na minha vida! 🙂

Permalink 1 Comentário

inocência

Fevereiro 20, 2009 at 10:17 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, histórias, manualidades, nostalgia, pensamentos) (, )

Levamos todos connosco, até ao fim da vida, uma semente de inocência que guardamos desde a infância. Grande ou pequena, visível ou não para as pessoas que nos rodeiam, a criança que jaz em os é provavelmente a melhor parte de nós e a única que não se altera.

ciupercuta1

Reminiscência do paraíso pelo qual todos nós passámos, chamado “infância feliz”, representam às vezes o único consolo, e o mais seguro, nos momentos em que nos deixamos levar pelas ondas da vida (que nos atira por vezes com a cabeça contra as rochas ou para areias longínquas e desconhecidas).

filipa-e-mia

filipa-mia

Aproveitei para brincar quando me pediram anéis para meninas, pequenas futuras mulheres que já gostam de enfeites e de ficarem bonitas. Elas quiseram anéis parecidos àqueles que usam as mães delas.

kids6

kids5

kids3

Fi-los coloridos e alegres (como os grandes, aliás). Espero que as miúdas gostem…

kids4

kid1

kids2

Permalink 2 comentários

Cor e Amor na loja Interesart, Bucareste

Fevereiro 3, 2009 at 9:28 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, manualidades) (, , , )

Mesmo sabendo que os leitores deste blog não têm grandes hipóteses de irem a esta loja muito gira, que fica em Bucareste, deixo aqui este anúncio…

Trata-se duma loja que vende artigos hand-made: roupa, acessórios, artigos de decoração etc. É um daqueles espaços com um ambiente especial, que parece que cheiram a canela e a antigo Bucareste (dos tempos em que a capital da Roménia era chamada também “A pequena Paris”, antes da destruição que fizeram os comunistas).

biblioteca-universitaria-bucareste

Aqui estão os meus anéis no blogue da loja Interesarte.

http://interesart.wordpress.com/2009/02/03/inelele-clarisei/

Espero que os meus anéis se integrem bem no ambiente da loja. 🙂

orange-butterfly

Permalink Deixe um Comentário

aztec ring

Fevereiro 2, 2009 at 12:38 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, manualidades) (, , , , , , )

Há algum tempo, uma amiga perguntou-me porque é que não fazia anéis muito pequenos também, para dedos muito pequenos. É assim que decidi aproveitar umas peças de madeira que tinha e que ainda não tinha tido a inspiração de usar. Pequenas, as peças.

aztec-army

O resultado foi um pequeno “exército” de anéis leves, coloridos, que decorei com motivos simples, que lembram os azetecos.

red aztec

Esperemos que os dedinhos ficarão contentes!

aztec-army

Permalink Deixe um Comentário

variações sobre o mesmo tema

Janeiro 28, 2009 at 9:38 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, manualidades) (, , , , )

Há uns meses, quando comecei a fazer anéis, comecei a inventar também padrões para decorar as minhas peças, que ficassem além da inspiração da realidade imediata ou em coisas de que sempre gostei.

Naquela altura de começo, fiz este padrão que não consigo para já abandonar. É o que quero mostrar-vos hoje.

yellow-leaves

Quem viu a galeria foto dos anéis, deve ter reparado nele. É um dos primeiros anéis que alguma vez fiz.

Fiz mais alguns com o mesmo padrão, mas as fotos valem mais do que as palavras.

green 3 leaves

E assim, em azul:

three-blue-leaves

PS: amanhã vou para Cascais, ser baby-sitter do filho duma amiga. Não se preocupem, o filho é grande, tem 12 anos, mas mesmo assim precisa de companhia. Vou tentar escrever amanhã à noite, mas não prometo. Temos conversa para pôr em dia 🙂

Permalink 3 comentários

âmbar (II)

Janeiro 18, 2009 at 9:28 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, histórias, manualidades, nostalgia) (, , , , )

yellow-amber-pendant

A Carol, do Brasil, perguntou-me se não fazia também pingentes a condizer com os anéis de âmbar (ou com os anéis, no geral), a agora estou preparada para responder claramente: faço, sim, vejam as fotos 🙂

yellow-amber-pendant

Lembrei-me também de outro pendente que fiz há algum tempo, dentro das mesmas cores, de mel e canela atravessadas pela luz de Outono.

amber-pendant

Aliás, esta luz e estas cores fazem-me muita falta aqui, em Portugal, no Outono. Ainda as procuro em todo o lado, em coisas à minha volta, e só consigo encontrá-las no âmbar amarelo.

outono-bucareste

Quem nunca viu a luz do sol, meigo, no meio de Outubro, filtrado por entre folhas amarelas ou cor de ferrugem, não sabe o que perdeu…

outono-no-parque

Ainda não acabei a história do âmbar. Ainda tenho o verde e o cor-de rosa :), mas temos tempo, não é?

yellow-amber-ring

Permalink 7 comentários

à volta do grená

Dezembro 4, 2008 at 10:27 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, manualidades, nostalgia) (, , , , , )

Sempre que tenho um tema favorito, uma cor ou uma música, costumo bater a tecla nisso. É normal. Mas não se assustem, não vou repetir agora o vídeo que pus no artigo de anteontem, mas sim vou-vos mostrar mais peças grená. A sensualidade desta cor é infinita…

grena and silver

Parece que pede para ser afagada, e depois protegida.

Mais profunda do que o vermelho, esta cor é mais sábia, mais especial. Como um vinho velho, cheio de perfumes de outras épocas, como as cortinas de veludo dum casarão em que havia mensalmente bailes com candelabros acesos, valsas, polkas e centenas de convidados a brilhar de felicidade.

Sacode o pó leve destas cortinas de veludo grená e passa os dedos por elas, ou aproxima os lábios da taça de vinho tinto, antigo.

Estás a sentir?

Permalink 4 comentários

“despedida”

Novembro 18, 2008 at 10:28 pm (bijutaria, manualidades, nostalgia, viagem) ()

Algumas das minhas “crianças” (leiam “anéis”) vão ficar aqui, a embelezar dedos femininos, de romenas. Hoje despedi-me de algumas das mais queridas. Surpreendi-me a querer afagá-las pela última vez antes de viajarem para casas estranhas 🙂 para as caixas ou gavetinhas de outras mulheres. Só faltava dar-lhes conselhos para se portarem bem lá fora, no mundo.

mao-de-crianca

 

Permalink Deixe um Comentário

borboleta preta

Novembro 4, 2008 at 7:33 pm (artes, artesanato, bijutaria, história, manualidades) (, , , , , , )

Era uma vez uma borboleta preta, decorada pela mãe natureza com motivos cor-de-laranja. A borboleta vivia na cidade. Gostava de dar uma volta pelas casas que tinham jardim, de descansar em cima de roseiras perfumadas, de divertir-se à custa dos miúdos que corriam atrás dela, a tentar apanhá-la.

orange butterfly

Um dia, começou de repente uma tempestade. A nossa borboleta infeliz foi atirada contra a minha janela, onde perdeu a vida, tão curta! Quando a tempestade passou, recolhi a pobre borboleta e fiz-lhe o retrato. Agora tem uma caminha em arame cor-de-laranja e ficará para sempre na minha memória e na… blogosfera!

Iron Butterfly (outra espécie de borboleta). Gosto muito deles…

Permalink 1 Comentário

Next page »