mood

Setembro 23, 2010 at 9:33 pm (artes, música, nostalgia, video) ()

Ultimamente…

Cor? Amor?

Permalink 1 Comentário

cemitério de pianos

Junho 25, 2010 at 6:31 pm (artes, criação, música, video) (, , , )

O romance do José Luís Peixoto tem agora uma versão romena:

Trabalhei quatro meses na tradução deste livro, mas Peixoto merece qualquer esforço e ganhou fãs na Roménia já no ano passado, quando foi publicado “Nenhum Olhar” e quando ele próprio participou no festival de literatura de Bucareste. Agora é só uma questão de continuar: manter os fãs antigos e fascinar outros.

Quanto a mim… estou contente. É maravilhoso ter uma contribuição na literatura, por mais pequena que seja.

Além de contente com o livro, ando obcecada com esta música portuguesa (apesar de não ter nada a ver com JL Peixoto). Já a tenho no sangue…

Enjoy…

Permalink 5 comentários

music mood

Maio 30, 2010 at 10:43 pm (música, video) (, )

Paula Seling, que ganhou este ano o 3º lugar no concurso Eurovisão. E uma canção mais antiga, a minha favorita.

Permalink Deixe um Comentário

prata

Janeiro 27, 2010 at 7:23 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, manualidades, música) (, , )

As mulheres gostam sempre de um toque de brilho, seja de que tipo for… Elas gostam de se sentir especiais, diferentes…

Além do clássico dourado, a lembrar o metal precioso, existe o prateado que é um brilho mais discreto, mas que tem muita personalidade. Aliás, eu pessoalmente prefiro o prateado ao dourado e os acessórios de prata aos de ouro.

Mais uma vez, escolhi o brilho frio e discreto do prateado.

Prata, a lembrar a Lua…

Permalink Deixe um Comentário

vinte anos

Dezembro 20, 2009 at 4:34 pm (história, histórias, música, pensamentos, tristeza, video) (, , , , )

Estes dias, há exactamente vinte anos, produzia-se na Roménia uma revolução terrível, sangrenta, demasiado sangrenta para o século XX. Caiu assim o regime comunista, duma maneira extremamente violenta, com  o sacrifício de centenas de pessoas inocentes, cujas famílias nunca saberão a verdade sobre as circunstâncias da morte das pessoas queridas. Uma revolução mal explicada, provocada por forças exteriores ou não, nunca vamos saber… Um abalo que mandou abaixo tudo à nossa volta, trazendo nas nossas vida uma realidade sobre a qual não sabíamos nada: a democracia.

Vinte anos de tentativas de crescermos, de esquecermos a humilhação e a pobreza, a censura, a fome e, sobretudo, o MEDO. A minha geração (e não só) cresceu numa realidade escura e fria, cheia de medo (medo de falar, de escrever, de ouvir certas coisas, medo de pensar). Tivemos que resistir à lavagem cerebral dos comunistas, tivemos que procurar sozinhos a cultura, o bom senso, tivemos que aprender sozinhos a liberdade.

Tentativas mais ou menos falhadas… nem sei! Sobrevivemos fisicamente, mas vamos levar provavelmente muito, muito tempo para voltarmos a ser pessoas sem medo e sem complexos…

Permalink 2 comentários

alma russa

Outubro 5, 2009 at 4:18 pm (artes, artesanato, bijutaria, criação, filme, histórias, manualidades, música, nostalgia, video) (, , , , )

Existe uma parte da minha vida que preferi, há alguns anos, varrer para baixo duma carpete e pisar em cima dela, de vez em quando… Não se assustem, trata-se só da língua russa (e da cultura, em geral).

A partir do 6º ano, comecei a estudar na escola a língua russa, com muito esforço, porque não gostava nada dessa língua. Na minha turma, ninguém gostava… O cúmulo foi quando tive que fazer o exame de admissão na faculdade em russo, além do francês e da gramática romena. O resultado daquele exame ( o último naquela língua) foi óptimo, não sei como, mas a partir daí nunca mais quis saber do russo. Passei a estudar português, com facilidade…

O destino fez que eu tivesse novamente contacto com a cultura russa, já no 4º ano de faculdade, quando partilhei um quarto do campus universitário com duas raparigas moldavas (éramos colegas no curso de francês), e sabe-se que na Moldávia se fala tanto russo, como romeno. É uma mistura. Tornamo-nos grandes amigas e aprendi muitas coisas com elas. Fiquei a conhecer uma certa parte da música russa, que é linda, os filmes de qualidade, etc. É pena que a cortina de ferro tenha impedido durante tantos anos o acesso das obras culturais russas ao circuito internacional (aconteceu o mesmo com a Roménia). Há muitos artistas de qualidade lá…

Agora tenho pena de ter perdido aquela língua, agora gostaria de saber ler ou falar em russo. É uma grande língua, que respeito imenso.

Porquê colar vermelho junto com história sobre a língua russa? Ni znaiu! 🙂 (não sei). Talvez por me lembrar dos belos xailes tradicionais deles…

russian

Permalink Deixe um Comentário

novamente domingo musical

Julho 4, 2009 at 11:52 pm (artes, música, nostalgia) (, , )

Por ser domingo, volto a pôr música neste blogue, conforme tinha prometido há algum tempo. Não tenho respeitado a promessa, mas hoje tento novamente.

Uma das músicas que marcaram os meus últimos 15 anos (ou serão mais de 15?). Valeriu Sterian.

Permalink Deixe um Comentário

nova obsessão

Junho 8, 2009 at 10:10 pm (artes, criação, música, nostalgia, tristeza) (, )

Maravilhosa voz… Maria Raducanu!

PS: as galerias de fotos de bijutaria estão actualizadas!!!!

Permalink 5 comentários

iris

Maio 17, 2009 at 10:29 am (artes, música, nostalgia, video) (, )

Grupo de rock histórico (já fez 25 anos de existência), Iris é um dos meus favoritos de sempre. Apesar da “cara de mau” do vocalista, a música deles é muito querida na Roménia, há muito tempo.

Na Roménia, vi-os ao vivo muitas vezes e posso testemunhar que sabem fazer show como poucos artistas sabem.

Aqui está uma canção emblemática do grupo, que se chama Flor de Íris.

Permalink 7 comentários

class

Maio 10, 2009 at 12:17 am (artes, música, nostalgia) (, , )

Domingo musical.

Desta vez, música comercial. Uma das poucas “músicas comerciais” de que gosto, e só porque me diz qualquer coisa. A harmonia das vozes das duas moças, a onda positiva desta canção e as saudades de Bucareste, tudo isso junto faz que eu goste desta música apesar de pertencer a um género que não costumo apreciar.

Nome da canção: “A lua sorriu-me”.

PS: acho que o rapaz estraga a canção, mas enfim…

Permalink 3 comentários

Next page »